Tags Posts tagged with "empreendedorismo"

empreendedorismo

Importância da Visão de Longo Prazo
Importância da Visão de Longo Prazo

VISÃO

“A Visão é o tacto do espírito.”Fernando Pessoa

__________________________________________________

Uma das maiores capacidades do ser Humano é a capacidade de Visão. Neste caso, o que está verdadeiramente em causa quando se fala em visão é a visão mental.

No fundo trata-se da capacidade de vermos antecipadamente o futuro dentro da nossa cabeça e a forma como visualizamos que este poderá ser.

Esta visão deve englobar todas as áreas da nossa vida. Sendo a nossa Vida subdividida em parcelas diferentes mais pequenas, a nossa visão deve abarcar aparte afectiva, profissional e de saúde e forma física. Graças a essa visão construída sobre os nossos valores e convicções, já podemos ver onde queremos estar com bastante antecedência.

Temos assim o poder de ver o nosso futuro, o que desejaríamos que este fosse. E esta capacidade é verdadeiramente poderosa porque nos permite tomar acção consistente com essa visão. Passamos a viver com as imagens do que pretendemos criar e batemo-nos por isso.

Neste momento já ultrapassámos a fase da indefinição porque já vemos, e o que se vê é concreto. Se desenvolvemos uma visão do nosso futuro então tornámo-nos visionários das nossas vidas, porque o visionário é aquele que possui uma visão. Sem ela deixamos o nosso futuro ao acaso e torna-se mais complicado ficarmos gratos à medida que vamos materializando a nossa visão simplesmente porque nunca vimos que era aquilo que queríamos alcançar.

Ao vermos o nosso futuro somos capazes de ir definindo metas ou checkpointsdo nosso caminho rumo à nossa visão, e isso permite-nos ir ficando gratos ao Universo por os termos alcançado.

A lógica torna-se semelhante à de uma viagem. Se eu planeio ir do ponto A ao ponto C, passo a saber que, não só tenho obrigatoriamente que passar pelo ponto B, como ganho consciência que tenho de passar pelos pontos A1, A2, A3 e assim sucessivamente até B. E o que isso me permite? Permite-me ficar grato por ter atingindo qualquer um dos pontos porque sei que é um passo tão importante como qualquer outro para materializar a minha visão. Se eu, começando no ponto A, não possuísse a visão daquilo que queria alcançar, como poderia saber se, chegando ao ponto A3 já estava bom ou se havia que continuar a prosseguir, e como saberia se a minha visão estava em C em D ou em E? Nunca saberia. Aclareza é uma das pedras chave.

Já foi provado, em inúmeros estudos que se têm efectuado ao longo dos anos, que, ao nível empresarial, a existência de uma visão aumenta exponencialmente as probabilidades do negócio ter êxito. Neste sentido Thomas John Watson (1874-1956), presidente fundador da International Business Machine (IBM), afirmou que umas das razões para o grande sucesso desta famosa empresa foi o facto de saber desde o primeiro dia como desejava que empresa fosse no futuro.

E se isto é verdade para uma empresa é igualmente verdade para a nossa vida toda. Se são as Pessoas que criam e gerem as empresas e se, nesse âmbito, é fundamental que o empresário tenha uma visão de longo prazo do seu negócio, tão fundamental é também ter uma visão para a nossa vida no seu todo. O Cientista Edward Banfield, da Universidade de Harvard chegou à conclusão, após 50 anos de estudos, que a existência de uma Visão de longo prazo se apresenta como um dos factores mais importantes para o sucesso pessoal.

Essa visão conecta a Visão mental, endógena, do nosso futuro com a visão sentido, exógena, de rumo a seguir. Por sua vez a visão exógena, em funcionamento permanente com os restantes quatro sentidos, põe em funcionamento o Sistema de Activação Reticular (SAR).

O que é este sistema? Abordarei este tema num próximo artigo =)

O Empreendedor Visionário
O Empreendedor Visionário

Uma das maiores capacidades do ser Humano é a capacidade de Visão. Neste caso, o que está verdadeiramente em causa quando se fala em visão é a visão mental. No fundo trata-se da capacidade de vermos antecipadamente o futuro dentro da nossa cabeça e a forma como visualizamos que este poderá ser. Esta visão deve englobar todas as áreas da nossa vida.

Sendo a nossa Vida subdividida em parcelas diferentes mais pequenas, a nossa visão deve abarcar a parte afectiva, profissional e de saúde e forma física. Graças a essa visão construída sobre os nossos valores e convicções, já podemos ver onde queremos estar com bastante antecedência.

Temos assim o poder de ver o nosso futuro, o que desejaríamos que este fosse. E esta capacidade é verdadeiramente poderosa porque nos permite tomar acção consistente com essa visão. Passamos a viver com as imagens do que pretendemos criar e batemos-nos por isso.

Neste momento já ultrapassámos a fase da indefinição porque já vemos, e o que se vê é concreto. Se desenvolvemos uma visão do nosso futuro então tornámos-nos visionários das nossas vidas, porque o visionário é aquele que possui uma visão. Sem ela deixamos o nosso futuro ao acaso e torna-se mais complicado ficarmos gratos à medida que vamos materializando a nossa visão simplesmente porque nunca vimos que era aquilo que queríamos alcançar.

Ao vermos o nosso futuro somos capazes de ir definindo metas ou checkpoints do nosso caminho rumo à nossa visão, e isso permite-nos ir ficando gratos ao Universo por os termos alcançado.

A lógica torna-se semelhante à de uma viagem. Se eu planeio ir do ponto A aoponto C, passo a saber que, não só tenho obrigatoriamente que passar pelo ponto B, como ganho consciência que tenho de passar pelos pontos A1, A2, A3 e assim sucessivamente até B. E o que isso me permite?

Permite-me ficar grato por ter atingindo qualquer um dos pontos porque sei que é um passo tão importante como qualquer outro para materializar a minha visão.

Se eu, começando no ponto A, não possuísse a visão daquilo que queria alcançar, como poderia saber se, chegando ao ponto A3 já estava bom ou se havia que continuar a prosseguir, e como saberia se a minha visão estava em C em D ou emE? Nunca saberia.

A clareza é uma das pedras chave. Seja claro e objectivo e siga a sua Visão!

Autor: Pedro J. de Moura nasceu em 1991 em Cascais onde estudou. Mais tarde, após concluir o ensino secundário ingressou na Universidade de Lisboa. Os conceitos dogmáticos e as verdades inquestionáveis nunca lhe fizeram muito sentido. Assim sendo, encontrou na Internet um veiculo para se expressar de forma livre e criativa enquanto Designer, Gestor de Redes Sociais e Produtor de Conteúdos.

Grato por ter lido este artigo. Se achou o artigo interessante por favor coloque “Gostei” e partilhe =)

SAIBA MAIS EM >>> https://www.facebook.com/pedrojdemoura<<<

2 111
5 grandes desafios na vida de um empreendedor
5 grandes desafios na vida de um empreendedor

O empreendedorismo é uma jornada de transformação pessoal. Em primeiro lugar temos de ser empreendedores de nós mesmos. Isto implica uma procura incessante pela evolução e o aperfeiçoamento de nós mesmos e de tudo o que fazemos.

Empreender é o desejo de criar, de ter ideias e de levá-las obcecadamente para a vida real. É um caminho bastante solitário onde o nosso melhor amigo e, ao mesmo tempo, pior inimigo é a nossa própria mente. Sendo que “tudo é criado duas vezes”, uma na nossa mente e outra na realidade, é a “qualidade”do nosso Mindset ( = configuração da mente) que dita todos os resultados.

Uma mente bem configurada permite a superação positiva dos desafios. Uma mente mal configurada, repleta de crenças limitantes, conduz a uma não superação ou superação deficiente desses mesmos desafios.

Todo este percurso é fértil em desafios pessoais que nos empurram a sermos progressivamente maiores que esses mesmos desafios de maneira a superá-los. Sim porque só podemos superar um desafio quando somos maiores do que ele! É como o confronto entre dois vectores força: o maior anula o mais pequeno.

Desta forma, entre essa vasta lista de desafios, 5 apresentam uma grande preponderância na vida de um empreendedor.

São eles:

1 Manter a motivação

O que é a motivação? A própria palavra tem a resposta.

Motivação é estar motivado para a acção. Perante um cenário que muda a cada segundo das formas mais inesperadas, permanecer motivado para continuar a agir de forma consistente é uma tarefa complexa.

Mais uma vez o Mindset é um dos factores mais importantes a ter em conta para permanecer motivado. Se Mindset = a configuração da mente, a forma como esta está configurada impacta directamente a nossa motivação (ou não) para agir.

No que diz respeito a motivação sem dúvida que é necessário aprender a agir, com ou sem ela. Desta forma, nos momentos em que a motivação está “em baixo”, a execução contínua assegura que no momento em que esta é recuperada algum caminho já foi percorrido quando aquela faltou.

Manter a motivação constante é uma tarefa árdua mas, treinar a consistência, é apenas um hábito e os hábitos fazem-nos agir de forma automática.

2 Saber lidar com Pessoas

Diversos estudos realizados nas últimas décadas apontam o “saber lidar com Pessoas” como um dos factores mais decisivos para o sucesso de qualquer empreendimento. E este skill está à frente, nomeadamente, de competências de natureza técnica.

Cada Pessoa é uma Pessoa diferente de todas as demais. Esta afirmação é sustentada pela Ciência. No ADN de cada ser Humano, cerca de 0,5% do código genético é único, não existindo no Mundo nenhuma outra Pessoa com um igual. Mesmo gémeos verdadeiros possuem, nomeadamente, impressões digitais distintas. E isto apenas para falar em Biologia.

Se passarmos dos dados ligados à Bios para o campo mais subjectivo do funcionamento da mente, as diferenças são ainda maiores. Um grupo de 100 Pessoas expostas a um mesmo evento podem desencadear facilmente 100 interpretações diferentes desse mesmo evento.

É toda esta heterogeneidade e subjectividade que fazem o “lidar com Pessoas” uma competência tão desafiante.

3 Gerir bem o tempo

O tempo é sem dúvida o bem mais importante e valioso para todo o ser Humano. Uma vez que se passa o momento, esse momento exacto não volta mais. Torna-se automaticamente Passado. No fundo é como se o Presente fosse caracterizado apenas por uma fracção de segundo que, ao passar, torna-se isso mesmo: Passado.

Hoje em dia vivemos na Era da informação. Na verdade informação nos dias de hoje já não é algo passivo mas sim activo. Isto quer dizer que, antes, para termos acesso a uma informação sobre algo teríamos de ir ao encontro dessa informação. Hoje, essa informação vem directamente até nós muitas vezes sem termos de a procurar de forma activa (recebemos SMS’s, o chat ou as notificações de uma qualquer rede social soa o alerta, e por ai vai).

Sendo empreendedor, todo este fluxo constante de informação, associado aos mais variados estímulos, funciona como um verdadeiro “ladrão de tempo” e, consequentemente de produtividade.

Saber gerir o tempo, o que implica definir prioridades e saber “cortar” esse fluxo constante de estímulos é um desafio, no mínimo, desafiante.

4 Saber “um pouco de tudo”

A expressão ser um “faz tudo” ganha no empreendedorismo uma nova definição. Ser um empreendedor pressupõe estar comprometido com a aprendizagem constante e sobre as mais variadas áreas.

Implica perceber que o nosso maior activo é o nosso conhecimento. Na verdade, aquilo que nos pode prejudicar é aquilo que desconhecemos e não os conhecimentos que possuímos.

Desta forma, consciente desta realidade, o empreendedor procura, quase que de forma neurótica, saber o máximo possível sobre o máximo de áreas que conseguir. Desta forma, ele procura evitar ao máximo imprevistos causadas por coisas que ele podia saber mas, na verdade desconhece.

Conforme referiu o filosofo Grego Sócrates “só sei que nada sei” e este é precisamente o desafio.Quanto mais se sabe mais se quer saber e quando mais se quer saber mais se sabe que pouco se sabe.

5 Encarar positivamente os imprevistos

Na verdade não podemos controlar o que nos acontece. Apenas podemos, quanto muito, controlar a forma como reagimos ao que nos acontece. Mais uma vez é tudo uma questão de Mindset. O que importa é o que temos na nossa mente.

Perante um qualquer imprevisto, uma Pessoa pode encará-lo como uma fatalidade e uma pura tragédia enquanto outra pode encará-lo como uma oportunidade. Tudo depende dos padrões de pensamento da Pessoa em questão.

Não é por acaso que se diz que as Pessoas de mentalidade pobre têm problemas, ao passo que as Pessoas de mentalidade rica têm desafios.O desafio já pressupõe que vai ser ultrapassado de forma positiva. Está tudo na interpretação subjectiva de cada um em relação à realidade. É a velha história de “o copo está meio cheio ou meio vazio?”.

Tendo em conta que a função do nosso cérebro é garantir a nossa sobrevivência e não a nossa felicidade e que, ao longo do nosso processo de crescimento, logo desde bebés, somos formatados com um sem número de crenças limitantes, encarar positivamente os imprevistos é um verdadeiro desafio.

Achou o artigo interessante? Por favor deixe-nos o seu comentário e opinião!

Empreendedorismo
empreendedorismo

Uma Convicção implica acreditar em algo. Pressupõe uma opinião firme sobre o que se acredita, o que, por sua vez, revela um anterior trabalho de reflexão. As convicções são profundamente influenciadas pelos nossos valores, pois são eles que tendem a ditar as principais linhas orientadoras das nossas acções e perfil comportamental.

Uma verdadeira convicção é o resultado de uma reflexão sobre um determinado assunto, à luz da nossa escala de valores, que gera uma opinião sólida sobre esse mesmo assunto que nos faz acreditar naquilo que defendemos. Como tal, uma pessoa de fortes convicções, será, naturalmente, e porque tudo se relaciona, uma pessoa com uma escala de valores definida e que expressaopiniões válidas e estruturadas.

No nosso processo de desenvolvimento pessoal, é importante trabalhar estes aspectos pois, o valor que nos é reconhecido pela sociedade está directamente relacionado com a força daquilo em que acreditamos e com o entusiasmo e certeza que expomos e defendemos as nossas convicções profundas. Já todos ouvimos a expressão “Ele é uma Pessoa de valor!” .

Em que se traduzirá esse valor? Esse valor traduzir-se-á na força dos valores e consequente força das convicções que leva determinada pessoa a comportar-se de determinada forma e a emitir opiniões reconhecidas pelos outros e que lhe conferem uma credibilidade superior. De nada nos valerá, por hipótese, um qualquer resultado académico se este não operou um lift up nas nossas convicções sustentadas pelos nossos valores, contribuindo, por sua vez, para sermos Pessoas capazes de emitir opiniões mais firmes com confiança e com a certeza que, para nós, aquela é a opinião a defender de forma apaixonada.

As nossas convicções têm então o poder de mudar as nossas vidas. Boas e fortes convicção irão guiar o nosso discurso e toda a nossa actuação a resultados de maior sucesso, enquanto más e fracas convicções levar-nos-ão ao “caminho para lugar nenhum”. E isto simplesmente porque as convicções espelham a formatação que temos em relação ás coisas, em relação a nós e em relação á vida.

Se for nossa convicção que, por vivermos num período de forte recessão económica mais vale não fazer nada pela simples razão que não vale a pena e é impossível, todo o nosso discurso e consequente acção tenderá a ser coerente com essa nossa convicção. Resultado? Não poderemos certamente chegar longe porque já nos demos ao trabalho de pensar e criar a convicção de que mais vale nada fazer, de que não vou conseguir fazer nada até porque diariamente muitas outras pessoas já se deram ao trabalho de corroborar essa minha convicção com convicções deles similares ás minhas.

Se, pelo contrário, trabalharmos o nosso Eu por forma a criar, desenvolvere sedimentar no nosso subconsciente convicções positivas e fortes, estamos a criar a estrada que nos irá aproximar dos nosso sonhos e, consequentemente, fazer de nós pessoas de maior sucesso. Assim, se for nossa convicção que, apesar de conscientes do ciclo económico descendente que estamos a atravessar, temos valor e a capacidade de alcançar os nossos sonhos e tudo aquilo que desejarmos para nós encarando a crise como uma oportunidade, mesmo que as mesmas pessoas insistam em nos dizer que não dá, que é impossível e que a inercia é a melhor atitude, as nossas convicções, por serem inabaláveis, farão com que continuemos a pensar, comunicar e agir no sentido que acreditamos.

Deixamos de poder ser influenciados pelas convicções dos outros e posicionar-nos-emos no caminho que nos guia aos nossos objectivos e sonhos. As minhas convicções jogam um papel fundamental naquilo que vou alcançar na vida bem como da certeza que temos no caminho que estamos a percorrer. Ao acreditarmos e Nós como Pessoas de valor, poderemos até respeitar a opinião de todos os que nos dizem que é impossível mas, quanto a nós, sabemos que essa impossibilidade não se aplicará. Para eles até pode ser que seja impossível mas para nós não.

Nós acreditamos que é possível, e como não estamos dispostos a cruzar os braços, vamos acabar por colher os frutos da nossa atitude empreendedora.

O ser humano é essencialmente uma criatura instintiva, tal como todos os demais animais. Os defeitos orgânicos e morais o diferenciam dos outros animais. Somos animais vestidos. Animais traduzidos pelas máscaras que as vestimos diariamente para servir as mais diversas instituições.

Há quem aqui, encorajadamente, já se permita explicações filosóficas para essas primeiras e estranhas proposições.

O ser humano distancia-se, constantemente, quando o instinto e o impulso abandonam os tratados e se movimenta em passos irregulares na direção contrária aos estímulos exteriores naturais.

E aí é que salpicamos inúmeros elementos, nos planos religiosos, políticos, sociológicos etc. -; formadores dos nossos costumes.

É a produção emergencial dos nossos julgamentos. É o que classifico como o veneno sagrado da nossa mentalidade instant.

Um movimento mental estéril diante de um jogo inútil. A doença que se aproxima da morte.

É a mão “forte”do Estado controlando as relações sociais. As relações, todas elas, são disciplinadas pela lei. É assim que tentamos harmonizar as relações humanas e sociais.

As relações foram disciplinadas para inquietar o conflito. O conflito nasce dessa disciplina legislativa.

Nas relações de trabalho, o ser humano não se comporta de forma diferente. O conflito nasce junto com o próprio negócio. Estamos umbilicalmente interligados.

O empreendedor produz a demanda e o emprego. O empregado produz instantaneamente a relação de contrademanda. O empregado é essencialmente um adversário do empregador.

Empreender, hoje, sobretudo no Brasil, se tornou uma arte. Não há confusão entre a cultura do empreendedorismo e a arte de empreender. O Estado incentiva o conflito, criando uma atmosfera de ares nublados.

São valores absolutamente incompatíveis e diametralmente opostos. É quase um crime digno de castigo. Algo tão inquietante quanto demencial, em sentido homeopático que revela a dificuldade do ser humano de aceitar a graduação natural da evolução social.

É por isso que continuamos procurando encontrar o Santo Graal, em épocas diferentes, mas nos mesmos conceitos, buscando mais sabor aos alimentos, a vida e ao vigor dos seres humanos.

O ser humano ainda carece de um tom maior. O ser humano continua se diminuindo e construindo suas diferenças na arte de criar conflitos.

Bem disse nosso amigo colunista: “Quem sabe de mim sou eu”.

Curiosidades

O Empreendedor Visionário

0 143
Uma das maiores capacidades do ser Humano é a capacidade de Visão. Neste caso, o que está verdadeiramente em causa quando se fala em...