A importância de eliminar convicções negativas

A importância de eliminar convicções negativas

A importância de eliminar convicções negativas
A importância de eliminar convicções negativas

Para as Pessoas com convicções negativas e fracas há problemas. Para as Pessoas com convicções positivas e fortes há Desafios.

 O que é realmente interessante e inspirador é que o caminho de escolher cabe a cada um de nós. Mesmo que, em termos de educação ou mesmo por uma tendência comportamental familiar tenhamos crescido rodeados de convicções limitadoras ou escalas de valores desalinhadas, é sempre possível inverter essa tendência, e o primeiro passo e tomar consciência desta realidade.

 O que é aprendido pode ser substituído por algo mais forte que reaprendamos.

 Tendo a noção das limitações a que ficamos sujeitos vivendo com convicções limitadoras, damos o primeiro passo da cadeia de acção que nos fará abraçar a necessidade de alterar essa formatação.

 Uma vez com a consciência da relação entre a escala de valores, as convicções, os pensamentos e as acções que tomamos em função deles temos a janela aberta para mudar começando a trabalhar cada uma delas num processo de alinhamento.

 Poderemos fazer uma reflexão em torno do nosso caso, começando por perceber que convicções predominam ou predominaram no nosso processo de crescimento e educação.

 Uma vez que a adolescência é o período onde começamos a solidificar a nossa personalidade, maneira de ser e convicções, será importante perceber que principais convicções nos foram passadas, conscientemente ou não, nessa fase precisa da nossa vida.

 No fundo trata-se de perceber que mensagens dirigidas ao nosso subconsciente fomos educados a ouvir. Com esta reflexão perceberemos muitas das origens das convicções que temos enraizadas hoje em dia.

 Uma vez constatada a realidade um importante passo a seguir torna-se aproveitar e reforçar as convicções que são positivas, fortes e poderosas e que nos servirão para nos aproximar gradualmente dos nossos sonhos e objectivos.

 Neste caso, uma vez que já estão enraizadas, o nosso objectivo será enraíza-las mais fundo para maximizar todo o seu potencial, espremendo delas todo o sumo que for possível extrair.

 No caso das convicções negativas, fracas e limitadoras o processo é o inverso, um processo de desenraíza-las, e para isso é importante a consciência do quanto nos limitam.

 Devemos reflectir no sentido de saber ao que estamos presos para sabermos a que velocidade nos afundaríamos se decidíssemos mante-las e gravá-las mais fundo.

 Estando provado cientificamente que a única forma de substituir um hábito é com o nascer de um novo hábito, poderemos aplicar esta descoberta cientifica ás nossas convicções, pensando quais seriam as convicções que desejaríamos ter se fossemos perfeitos, descobrindo, desse leque, as que já temos, e procurando substituir todas as outras pelas que temos como ideais e típicas de uma Pessoa de sucesso.

 Para nos consciencializar da importância desta alteração de convicções é importante ter presente que o nosso desempenho, a nossa Performance, tende a ser aferida em função da nossa característica mais fraca. Assim, a importância de uma única convicção negativa que seja é muita, limitando e muito a força das restantes positivas.

 O caminho para o desenvolvimento pessoal é a sua progressiva substituição, no verdadeiro sentido da palavra, não deveremos ficar 100% satisfeitos com uma simples atenuação. É normal que, quando começamos a trabalhar neste sentido, comecemos por atenuá-las, mas o objectivo deve ser a pura e simples substituição.

 Mais vale um par de convicções poderosas que um combinar de convicções fortes com outras altamente limitadoras. É um trabalho recompensador todo o percurso da evolução, de nos tornarmos melhores. E recompensador e reconfortante também é saber que não somos escravos das convicções que outros fizeram germinar em nós.

 Educaram-nos de uma maneira, plantaram em nós determinadas sementes e fizeram correr no nosso sistema um determinado programa, mas podemos reeducar-nos à imagem e semelhança dos nossos sonhos, objectivos e propósitos.

 Assim começaremos a viver os nossos sonhos de forma alinhada com eles e não em rota de afastamento.

 Siga em frente e agarre já os seus maiores Sonhos! =)

 Grato por ter lido este artigo. Se achou o artigo interessante por favor deixe-nos a sua opinião na zona de comentários a baixo e partilhe com os seus colegas.

Share on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookDigg thisEmail this to someoneShare on TumblrPin on Pinterest
Pedro J. de Moura
Autor: Pedro J. de Moura nasceu em 1991 em Cascais onde estudou. Mais tarde, após concluir o ensino secundário ingressou na Universidade de Lisboa. Os conceitos dogmáticos e as verdades inquestionáveis nunca lhe fizeram muito sentido. Assim sendo, encontrou na Internet um veiculo para se expressar de forma livre e criativa enquanto Autor, Designer e Internet Marketer.

Nenhum comentário

Deixar um resposta